Homem executado dentro do HMU havia sido preso por furto e roubo

Investigação: Mesmo com a prisão de dois suspeitos, a polícia ainda não esclareceu a motivação do crime

Morto a tiros enquanto recebia atendimento no Hospital Municipal de Urgência (HMU), na noite desta quinta-feira (2), Fernando Nunes Alves, 31, tinha duas passagens na polícia por roubo e furto. Dois suspeitos de terem invadido o hospital para matar Alves foram presos, ainda assim, a motivação do crime não havia sido esclarecida até a conclusão desta edição. Entre as linhas de investigação da polícia, está a briga de grupos criminosos rivais.

A entrada do paciente no HMU ocorreu por volta do meio-dia. Alves alegou ter sido espancado na noite anterior. O homem estava na sala de emergência do hospital tomando soro quando foi surpreendido por quatro bandidos que, de arma em punho, renderam os enfermeiros e dispararam três vezes; dois tiros atingiram Alves na cabeça e braço direito. O crime ocorreu por volta das 19h30.

No momento da fuga dos criminosos, teria ocorrido troca tiros com a Guarda Civil Municipal (GCM), que conseguiu deter dois suspeitos, que foram encaminhados para o 1º Distrito Policial (Centro). Segundo uma testemunha, os quatro homens rondaram o local por aproximadamente uma hora. Um funcionário do hospital que preferiu não se identificar revelou que eles entraram normalmente no hospital, mas quando se aproximaram da sala de emergência, renderam os enfermeiros e atiraram na vítima. “Quando começou o barulho dos tiros, muitos pacientes se assustaram e chegaram a correr”, afirmou.

Em nota, Secretaria Municipal de Saúde afirmou que após os disparos, os suspeitos se evadiram do local, mas uma equipe do Grupo de Operações Táticas Especiais (GOTE) da Guarda Civil Municipal (GCM), deteve os dois suspeitos.

Deixe seu Comentário