SP bate recorde de lentidão no ano com paralisações de ônibus e metrô

O índice de lentidão chegou a 201 km na capital paulista

A paralisação do funcionamento do metrô e dos motoristas e cobradores de ônibus na manhã desta quarta (15) fez com que a cidade de São Paulo batesse recorde de congestionamento em 2017. Às 9h30, o índice de lentidão chegou a 201km -o que corresponde a 23,2% dos 868 km de vias monitoradas- o dobro do índice da média superior para o horário, que é de 10,3%.

Segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), o recorde anterior para o ano foi registrado no dia 20 de fevereiro, também às 9h30, quando a cidade teve 104 km de morosidade. Às 10h, os motoristas enfrentavam ainda 195 km de lentidão, mas, segundo a companhia, o trânsito na cidade tende a melhorar.

Na hora do maior pico da manhã, os motoristas enfrentavam longos congestionamentos nas principais vias da zona norte de São Paulo, como na rua Voluntários da Pátria e na avenida Cruzeiro do Sul. Às 9h40, o terminal de ônibus de Santana ainda estava sem ônibus, mas muitos passageiros já aguardavam o retorno da circulação dos mesmos.

Às 9h30, o encarregado de logística de uma editora de livros Felipe Lima, 30, completou duas horas sentando em um banco no aguardo de um ônibus que o leve à zona sul da cidade. “Meu chefe sabe que não tem ônibus, então ele só mandou eu esperar. Não tem outro jeito.”

Rodízio

O rodízio municipal de veículos em São Paulo está suspenso nesta quarta-feira (15) por conta da paralisação que podem afetar os ônibus e metrôs. Segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), as restrições de circulação para caminhões seguem valendo normalmente.

Os corredores de ônibus estarão liberados para o tráfego de táxis, com ou sem passageiros, e ônibus fretados. Durante toda a manhã, até o meio-dia, carros também poderão circular nas faixas exclusivas para ônibus, segundo a CET. O estacionamento em vagas da Zona Azul está liberado gratuitamente.
A CET informou em nota que a “medida tem como objetivo garantir a mobilidade do cidadão e valerá apenas para os carros”.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS)

Deixe seu Comentário