Pacientes enfrentam falta de medicamentos na farmácia de alto custo, do governo de SP

Logística: A Secretaria de Estado de Saúde promete regularizar o fornecimento destes remédios nos próximos dias e alegou problemas de logística

Não é apenas na rede municipal que o usuário do sistema público de saúde encontra dificuldades para ter o medicamento necessário para realizar o seu devido tratamento. Na farmácia de alto custo, administrada pelo governo do estado, pacientes encontram dificuldades para encontrar os remédios Alenia, Brimonidina e Bimatoprosta. Secretaria de Saúde do Estado promete regularizar o fornecimento destes remédios nos próximos dias.

Este é o caso do aposentado José Paulo Cardoso, 77 anos, que sofre de doença pulmonar obstrutiva crônica. Ele necessita do remédio Alenia, que tem custo de até R$ 130,00 e não encontra o mesmo há pelo menos três meses. Segundo a Secretaria da Saúde do Estado, o referido medicamento deve estar disponível na unidade guarulhense nos próximos dias e alega problemas na logística de distribuição do fornecedor pela falta.

“Faz mais de três meses que esses medicamentos estão em falta na farmácia de alto custo aqui de Guarulhos na Emilio Ribas”, disse a metalúrgica Paula Bulamarkki, 39 anos, filha de Cardoso, que revela ter de suprir financeiramente com os custos referentes à aquisição dos medicamentos.

Já Joana Cardoso, 67 anos, também aposentada, precisa dos colírios Brimonidina e Bimatoprosta. Ambos custam aproximadamente R$ 70,00. Ela também alega encontrar dificuldades para obter os medicamentos para a realização de seu tratamento contra catarata, glaucoma, retinopatia diabética. Joana já perdeu 80% dá visão de um olho.

“Meus pais recebem salario mínimo e não tem condições de comprar. Eles têm outros remédios para tomar fora as despesas do mês com alimentação, água, luz, telefone, empréstimo no banco. No mês que vou buscar e não tem, eu e meu filho compramos. Isso porque eles não podem ficar sem os remédios de uso continuo”, disse.

O Núcleo de Assistência Farmacêutica informa que não procede a informação de falta do medicamento Bimatoprosta. O SUS (Sistema Único de Saúde) distribui mais de 1.000 tipos de medicamentos em diferentes apresentações no Estado de São Paulo e alguns fatores, alheios ao planejamento da pasta, podem ocasionar desabastecimentos temporários, como aumento inesperado de demanda (acima da margem de segurança prevista).

Reportagem: Antônio Boaventura
Foto: Ivanildo Porto

1 Comentário neste post

  1. ANA MARIA ALVES CALDAS

    PMG, TROQUE 2 LÃMPADAS DE 2 POSTES NA MINHA RUA DONA BENEDITA-VILA DAS PAMEIRAS-CENTRO-GRS.(RUA S/SAIDA). JÁ RECLAMAMOS E DISSERAM QUE NÃO TEM LÂMPADAS EM ESTOQUE. ATÉ QDO. VAMOS FICAR EXPOSTOS A ASSALTOS? POR FAVOR!

    Responder

Deixe seu Comentário